10 abril 2016

Eficácia infantil academista dita regras

video

Académico Viseu - Sátão 3:0
Golos Académico Viseu: Miragaia (21 min), Rafael Correia (58 min), Carlos (59 min)
Académico Viseu: Rafael, Xico, Edgar, Tiago Varela, Jéssica, Filipe, Carlos, Martim, Tomás, Miragaia e Rodrigo.
Treinador: Fábio Mendes.
Sátão: Henrique, Lucas, Rafael, Alexandre, Tomás, Daniel, Ivan, Francisco, Sousa, Nélson, Diogo e Pedro.
Treinador: Paulo.
O Académico defrontava a equipa do Sátão no jogo que marca o inicio da fase da Taça de Encerramento.
O Sátão começou com uma postura bastante ofensiva conseguindo empurrar a equipa academista para terrenos muito atrasados.
Aos 2 minutos acontece o primeiro remate com perigo sendo Diogo o autor do mesmo para Rafael Correia aparecer a ter uma primeira boa defesa.
Quatro minuto depois é a vez de Filipe obrigar o guarda-redes do Sátão a uma boa defesa.
Aos 7 minutos boa jogada colectiva do Sátão com Nélson a desmarcar bem Diogo que em duas ocasiões remata colocado vendo Rafael Correia a negar-lhe o golo.
Dois minutos depois novamente Diogo a aparecer em boa posição a rematar mas vẽ Jéssica a dar o corpo às balas e fazer o corte providencial.
O Sátão dominava quase que por completo a partida com os academistas a sentirem muitas dificuldades e aos 16 minutos Diogo desmarca bem Nélson que entra bem na área e remata colocado mas vê a aquele que seria a figura do jogo negar-lhe o golo inaugural.
Quem não marca sofre e isso viria a ser mais uma vez mostrado aos 21 minutos quando numa rápida transição conduzida pela ala direita do seu ataque a centrar de forma precisa para o recém entrado Miragaia ser mais lesto que a defesa contrária e encostar para o golo.
O Sátão consegue reagir bem ao golo sofrido continuando em cima dos academistas mas na altura dos remates vê a defensiva academista se superiorizar.
Chega-se ao intervalo com um resultado bastante ingrato para a turma forasteira que teve superioridade em termos de ocasiões criadas mas viu os academistas serem eficazes ao aproveitaram uma das duas ocasiões criadas de golo.
A segunda parte começa com os academistas a terem um pouco mais de posse de bola e aos 38 minutos livre de Rafael Correia que é devolvido caprichosamente com a base do poste da baliza de Pedro.
A equipa do Sátão apesar de mais posse de bola não conseguia criar as ocasiões de golo que teve nos primeiros 30 minutos.
Aos 43 minutos Carlos aproveita uma desatenção do guarda-redes e remata com muito perigo para a baliza valendo o corte providencial da defensiva forasteira.
Apesar de mais posse de bola a equipa do Sátão mostrava-se um pouco mais precipitado no seu futebol sem conseguir criar lances de perigo e seria novamente Carlos aos 49 minutos a rematar de muito longe valendo a atenção de Pedro.
No minuto seguinte Nélson desmarca da melhor forma Sousa que entra bem na área mas vê Rafael Correia ter uma saida sem receios e evitar o remate deste.
Aos 56 minutos Martim entra bem na ala direita da área forasteira e remata para uma boa defesa de Pedro e na sobra Carlos não consegue vencer a oposição da defensiva do Sátão.
Dois minutos depois Martim é derrubado no interior da área forasteira. Chamado a marcar, o guarda-redes academistas Rafael Correia marca de forma forte e vence a oposição do seu oponente dando uma maior segurança à sua equipa.
O ponto final da partida dá-se no minuto seguinte quando Lucas perde uma bola em zona muito recuada para Carlos que se mostra letal e assim fazer o terceiro golo da equipa academista.
Melhor segunda parte dos academistas num resultado que acaba por ser exagerado face à postura da equipa do Sátão que sai vergada a uma derrota fruto de uma enorme ineficácia.
Arbitragem marcada por uma decisão algo polémica em termos disciplinares quando aos 38 minutos ao assinalar o livre resultado de uma falta de Lucas sobre Carlos que se isolava, somente mostra amarelo.
Outros resultados:



Sem comentários: