30 março 2008

Folga juvenil

Os jovens juvenis do Académico estiveram neste fim de semana a sua folga. No próximo fim de semana deslocará-se a Penalva do Castelo para defrontar a equipa local, num jogo que marca o fim da fase regular deste escalão

Outros resultados:
Viseu Benfica - Penalva Castelo 4:0
Cabanas Viriato - Mortágua 2:2
Santar - Repesenses 2:5
Ranhados - Mangualde 0:4
Nelas - Tondela 0:3
Molelos - Lusitano Vildemoinhos 2:0
Folga: Académico Viseu

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu232120881565
Repesenses231931621960
Penalva Castelo231265372741
Viseu e Benfica231058534435
Mangualde231058443535
Tondela2310211483632
Lusitano Vildemoinhos2310112403731
Molelos2484124052

28

Mortágua237793054

27

Cabanas Viriato235612284521
Ranhados234415306316
Santar234415347516
Nelas231913306212

29 março 2008

2 parte finalizadora dita vitória

Académico Viseu - Pinguinzinhos 4:1
Golos Académico: Gabi (6 min), Hélder (34 min), Ivo (43 min, auto-golo) e Pedro (49 min)
Golo Pinguinzinhos: Diogo Marques(20 min)
Académico Viseu: Bruno, Rúben, Bernardo, João Diogo, Francisco, Rafael, Kiko, Pipo, Pedro, Gabi, Hélder e Alexande.
Pinguinzinhos: Gonçalo, Igor, João Pedro, Gabriel, André, Diogo Marques, Ivo, Diogo Varanda, Tiago, Diogo Isidoro e Diogo Filipe.
Colocava-se em confronto duas equipas que vinham de uma vitória no seu primeiro jogo desta fase derradeira. Desta forma ambas procuravam uma vitória para alcançar a liderança isolada.
Entrou mais pressionante a turma local e Héder logo no primeiro minuto obriga Gonçalo a defesa apertada. Na resposta seria Ivo a ter um remate forte mas para defesa fácil de Bruno. Aos 4 minutos Gabi, tem um bom remate e obriga Gonçalo a mais uma defesa apertada. Era o ensaio para aquilo que viria a acontecer dois minutos a seguir quando num bom ramate Gabi consegue abrir o marcador.
O Académico continua a pressionar e Rafael aos 8 minutos chuta forte mas sem a melhor direcção. Os Pinguinzinhos tentavam reagir, onde Diogo Marques procurava levar o perigo a defesa academista. Com 12 minutos cravados na partida, Hélder tem uma boa jogada individual e obriga Gonçalo a nova boa defesa. No canto seria Pedro a por à prova o guarda-redes forasteiro.
Aos poucos os Pinguinzinhos procuravam equilibrar e Ivo remata de longe para defesa a soco de Bruno. Aos 20 minutos viria a surgir o golo do empate quando o irrequieto Diogo Marques se antecipa aos defesas academistas e faz o golo para gáudio dos adeptos forasteiros. Na resposta Francisco esteve perto de marcar mas mais uma vez Gonçalo evita esse intento.
Chegava-se ao intervalo com um empate cravado no marcador, muito fruto da boa exibição do guarda-redes Gonçalo que tudo fez para evitar os golos academistas.
Com a partida mais equilibrada seria a turma dos Pinguinzinhos a ter a primeira oportunidade para inaugurar o marcador, quando num remate enrolado de Gabriel, Alexandre é obrigado a se esticar ao máximo para evitar o golo forasteiro. No minuto seguinte seria Diogo Marques a ter boa ocasião para marcar mas falha o remate certeiro. Aos 34 minutos boa jogada academista quando rafael sobe no terreno e descobre Hélder na esquerda que de forma lesta consegue o golo que dava a vantagem academista. O Académico pressionava e Pedro marca bem o libvre e Kiko sobre a linha do golo empurra a bola para o interior da baliza, mas a dupla de arbitragem assim não o considera de forma errada. Senão surgiu neste momento, viria a surgir num lance de enorme infelicidade de Ivo que ao cabecear um cruzamento fácil, introduz o esférico nas sua baliza. Estava feito o golo que dava maior tranquilidade e com a quebra da turma forasteira o Académico domiva por completo e esteve perto de marcar quando Kiko remata forte ao poste e na sobra Hélder esteve muito perto de bisar. Já sobre o apito final viria a surgir o 4 golo academista, num remate forte de Pedro sem qualquer hipótese para o guarda-redes pinguinzinho.
Arbitragem sem grandes lances de perigo, mas errou ao não assinalar um golo que só mesmo eles não viram a bola entrar fruto talvez da má colocação em terreno. De resto sem problemas muito fruto do não complicar dos jogadores de ambas as equipas.
Melhor em campo: Gonçalo e João Diogo. O primeiro foi o muro que se colocou à frente dos atacantes academistas. Com um punhado de boas defesas mostrou um grande serviço e conseguiu equilibrar uma partida que tendia para os academistas. Foi retardando os golos de forma guerreira. O outro jogador foi um dos muros na defesa academista e não deixou que os atacantes forasteiros colocassem pé em ramo verde.
In: garra academista. Mesmo perante um adversário muito complicado, como se esperava ser os Pinguinzinhos, este grupo não acusou o golo do empate e procurou sempre o golo. Em crescendo na partida conseguiu obter uma vitória que os coloca na liderança desta fase derradeira. Força ai campeões..
Out: quebra forasteira. Se na primeira parte conseguiu equilibrar a partida, a segunda parte da turma forasteira, sobretudo a partir do golo academista, mostrou uma quebra. Desta forma os academistas aproveitaram isso e obtiveram uma vitória gorda.

video


Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu2200616
Pinguinzinhos2101243
Footlafões2

0

02030


Por(mai)ores

Académico Viseu - Oliveirense 1:2
Golo Académico: João Aguiar (80 min)
Golos Oliveirense: Cláudio Rúben (75 e 77 min)

Académico Viseu: Luis Filipe, André, Tiago, Nuno Pais, Melo (João Paulo, 75 min), Chaves (Parma, 62 min), Rafael, Filipe, Mickael (Ferreirinha, 67 min), João Aguiar e Dani.
Suplentes não utilizados: Toni, David e César.
Treinador: Vitor Santos.
Oliveirense: Penetra, Ricardo (Queirós, 62 min), Julião, Diogo, Ruizinho, António (Cláudio Rúben, 64 min), André, Bruno, Zé Pedro (Tiago Lopes, 84 min), Marquito e Oliveirinha.
Suplentes não utilizados: Molina, Malheiro, Cláudio Oliveira e Márcio Reis.

Árbitros: Vitor Silva, Auxiliares: Rui Rebelo e Tiago Faustino (A.F. Vila Real)

Começou a fase derradeira para a manutenção no 2º Escalão dos Juniores. Frente a frente Oliveirense e o Académico equipas que se tinham defrontado à pouco mais de um mês.
Foi uma partida de nível fraco e decidido em pequenos, grandes pormenores. Entrou melhor a Oliveirense mas o primeiro remate com perigo a uma das balizas caberia aos academistas. Seria após um livre de Rafael para o interior da área oliveirense, que Filipe não consegue o melhor cabeceamento. Aos 14 minutos surgiria a resposta quando Julião tem um remate forte mas para defesa fácil de Luis Filipe.
A partida era muito jogada no meio campo, sem grandes lances de perigo para as balizas. Os unicos dos lances de realce foram ao 30 minutos com remate de Chaves para defesa incompleta de Penetra e aos 42 minutos seria Julião a ter um remate forte mas sem a melhor direcção.
Foi uma primeira parte fraca onde ambas as equipas se equilibraram e as situações de perigo escassearam.
A segunda parte começou com um Académico mais pressionante e aos 48 minutos dani remata fraco para as mãos de Penetra. Quatro minutos depois Filipe tem uma boa jogada pela direita e consegue libertar para João Aguiar que rodando bem remata, levando a bola a rasar o poste da baliza forasteira.
Aos poucos a Oliveirense vai tomando conta da partida e o recém entrado Cláudio Rúben teve nos pés aos 67 minutos o golo falnado contudo na direcção do remate quando já se encontrava isolado perante Luís Filipe. Este era o ensaio para aquilo que viria a acontecer aos 75 minutos quando Marquito no interior da área academista, luta por uma bola perdida e consegue libertar para Cláudio Ruben que embora de forma atabalhoada faz o golo inaugural. Era um balde de água fria para os academistas que viria a gelar dois minutos após quando novamente a mesma dupla entra em acção. Marquitos novamente pela direita consegue passar pelos defesas academistas tem um bom cruzamento, ao qual Cláudio Rúben aparece a dar o melhor seguimento, ou seja o golo.
Este golo parece que foi o clique para uma maior pressão academista que viria a resultar no golo aos 80 minutos quando João Aguiar consegue no interior da área forasteira, o remate para as redes de Penetra.
Até ao final a pressão foi muito feita com o coração, e onde a melhor oportunidade caberia a João que responde a um livre com um cabeceamento sem a melhor direcção.
Jogo equilibrado, decidido em pormenores e onde a eficácia forasteira foi a parte mais notória.
Arbitragem com trabalho fácil e onde teve erros sem influenciar o resultado final.

In: eficácia oliveirense. Num jogo com poucas oportunidades, souberam aproveitar quase a 100% as que obtiveram e assim ter uma vitória que os coloca num posto mais cimeiro nesta fase. De uma forma fria mais matadora liquidaram as hipoteses academistas!
Out: adeptos academistas. Cada vez mais penso que é preferível a esta equipa jogar fora. Para ter adeptos que estão desde o 1º minuto a criticar tudo e todos, sem ver que isso influencia os jovens jogadores, assim não vale. Estes jovens não são profissionais, nem de longe. Lutam por o melhor. Todos queremos, mas não é assim que os adeptos podem ajudar. Temos que nos unir, senão até parece que as equipas que visitam o Fontelo jogam em casa.


(em actualização)

Fase final conquistada

Pinguinzinhos - Académico Viseu 2:3
Golos Pinguizinhos: Hugo, António Figueiredo
Golos Académico: Diogo, Guilherme, Rafa

Os infantis deslocaram-se a terras de Santa Comba Dão, para defrontar uma forte equipa dos Pinguinzinhos que lutava com os academistas pelo acesso à fase final que ditará o campeão deste escalão.
O jogo começou com as equipas a recearem-se mutuamente mas, a partir do 5º minuto coube ao Académico mostrar aos adversários que estava alí para ganhar. Assim, aos 6 minutos Rafa, à entrada da área remata bem para uma excelente defesa de Miguel. Logo a seguir, é Márcio que tenta a sua chance na marcação de um livre à entrada da área, mas a bola saiu-lhe um tudo nada alta.
Dois minutos depois foi a vez dos locais porem à prova a atenção de Rui que se opôs de maneira eficaz a um bom remate de fora da grande área. Do consequente canto nada resultou e então o Académico começou a pressionar a defesa contrária conseguindo alguns cantos. Na sequência de um deles, eram decorridos 15 minutos, Diogo Correia aproveita bem um desvio de Aníbal para o miolo da área e faz com que a bola se aniche a um canto da baliza local. Estava feito o 0-1.
Faltava ainda muito tempo para terminar a primeira parte e o Académico até poderia, nela mesma, ter dilatado a vantagem, primeiro por Renato ao não conseguir encaminhar a bola para o melhor sítio frente ao guarda-redes e, depois por Rafa, já aos 25 minutos, com um remate potente a proporcionar mais uma boa defesa a Miguel.
Na segunda parte esperava-se uma reacção dos locais, até porque só uma vitória folgada lhes permitiria disputar os três primeiros lugares na prova. E, assim aconteceu. Logo aos 2 minutos, viriam a empatar a partida por intermédio de Hugo que aproveitou bem um desentendimento na defesa do Académico. Ganharam ânimo os locais e tentavam então empurrar o jogo para junto da defesa contrária. Mas, ficava mais desguarnecida a sua defesa e, então os jovens academistas aproveitaram bem uma descida de Rafa, que se desembaraça bem do seu marcador directo e, mesmo da linha de fundo, tenta acertar no alvo. Miguel ainda toca na bola que sobra para Guilherme que só teve que empurrar. Mesmo em nova desvantagem no marcador os locais não se foram abaixo e, mostrando uma boa atitude, tentam de novo chegar à igualade que viria a acontecer através da marcação de uma grande penalidade assinalada a castigar uma entrada dura de Márcio dentro da área. Chamada a converter, António Figueiredo, não deu quaisquer hipóteses a Rui. Nada estava perdido para qualquer dos lados. E eram os locais, mais serenos, a tentar jogar a bola pelo chão, que mais faziam para chegar ao 3º golo. Contudo, seria ao Académico a fazê-lo, quando Aníbal aproveitou bem uma bola perdida no meio campo e isolou Rafa que, com calma, deu o toque que faltava. Estavam esgotados 25 minutos da segunda parte que, mais depressa do que é habitual parecer, chegaria ao fim para contento dos visitantes.
Com esta vitória e a apenas um jogo do final desta fase o Académico assegurou desde já o acesso à fase derradeira, estando portanto nas 3 melhores equipas do distrito neste escalão, e irão lutar por um titulo que já há muito não conquista

In: emoção e entrega dada por ambas as equipas. Entrega ao jogo, houve que chegasse e sobrasse. Aliás a marcha no marcador é o espelho disso mesmo. Ambas as equipas deram o seu melhor na procura do melhor resultado possivel, o qual sorriu aos academistas.
Out: terreno de jogo. O tipo de terreno de jogo (pelado duro e muito irregular) não permitiu a ambas as equipas o melhor futebol, o que foi uma pena, pois os jogadores mereciam outro cenário para a sua arte.

Nota: Gostava de agradecer ao Sr. Correia por mais uma brilhante reportagem. O meu obrigado!

Outros resultados:
Mortágua - Penalva Castelo 1:3

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu550016515
Pinguinzinhos53021089
Penalva Castelo5

1

137104
Mortágua5

0

144141

Torneio Internacional Chaves "Pavão"


Com a presença da equipa de iniciados do Academico de Viseu, disputou-se no sábado de Páscoa, em Chaves, o Torneio Internacional de Futebol Juvenil "PAVÃO".
Assistiu-se a uma boa prestação da equipa do Academico ao longo do mesmo.
A equipa academista levou de vencida o seu primeiro adversário por um a zero, golo de Oliveira.
No 2º jogo disputado contra a equipa espanhola de Verin, o resultado final foi o de 4 a 1, com golos de Oliveira e Guilherme 3.
Ao 3º jogo disputado contra a equipa do Gil Vicente, surgiu a primeira derrota por 1 a 0.
A passagem à final do torneio não foi possivel em função do desempate por marcações de grandes penalidades. No jogo em causa, contra a equipa espanhola do Orense, o resultado no tempo regulamentar cifrou-se num zero a zero e na lotaria das penalidades a sorte nada quis com a equipa viseense.
Em jeito de consolação, o jovem jogador Guilherme ficou, em igualdade com outro jogador, como melhor marcador do torneio.


Parabéns campeões!

Tendeu para os forasteiros ...

Académico Viseu - Moimenta Beira 3:6

NOTA: Quem tiver mais pormenores sobre este jogo por favor mande-me para o meu mail: jorge.miguel.sa@gmail.com O meu obrigado!

Outros resultados:
Cinfães - Satão 8:0

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Moimenta Beira5500191213
Cinfães531126710
Satão5

2

0311236
Académico Viseu5

0

058220

28 março 2008




Hoje é o Carlos o aniversariante. Ele é Iniciado no nosso clube.
Parabéns CAMPEÃO!!

25 março 2008










Hoje são dois os aniversariantes. Ambos da equipa de Iniciados. Um é o Tiago (esquerda) e o outro é o Gustavo.
Parabéns CAMPEÕES!!

24 março 2008

Este torneio começa a ganhar uma fama e nível que faz com que as equipas participantes queiram ano após ano participar nele. Por isso a organização está de parabéns. Contem com a minha presença para o ano!

Todavia como existem sempre situações a melhorar, tal como no ano passado acho que a arbitragem peca por ainda errar bastante e com isso por vezes influenciar os resultados finais. Mas a melhoria ainda se sentiu de um ano para o outro. Espero que para o ano estejam no seu melhor.
De resto queria só mesmo referir o episódio que achei mais negativo: o de um dos árbitros que apitou um dos jogos dos nossos Infantis interpelar o capitão de equipa e dizer: "não gostar de pessoal de Viseu!" Acha correcto sr árbitro o que disse? O que nós pais, adeptos e principalmente jogadores lhe fizemos para merecer esse comentário? Será que temos culpa de algum episódio negativo na sua vida. Achamos que não!

Se todos somos educadores, os árbitros são-no mais e não é com estas atitudes que ajudam a incutir o gosto por este desporto aos jovens jogadores.

De resto gostava de salientar o bom ambiente entre equipas, sendo esta uma das partes que este torneio consegue incutir e durante 2 dias e quem sabe no futuro criar ligações entre jogadores que podem dar outro brilho a este futebol. Referindo-me às nossas duas equipas foi bonito ver o apoio que deram quando a outra jogava e assim sentirem a relação que existe entre elas.
Outra das partes positivas foi o grande apoio dado pelos adeptos e pais a ambas as nossas duas equipas e que na final das Escolas esteve em grande nível que se sobressaium perante o apoio local à equipa da casa.

22 março 2008

Campeões, campeões!


Académico Viseu - Oliveireinha 3:2
Marcadores: Kiko 2 e Gonçalo
Académico Viseu: Alexandre, Bruno, João Francisco, Rúben, Rafael, Kiko, Pipo, Pedro, Hélder, Gonçalo, Bernardo e Tiago.
Treinador: Joaquim e Júlio.
Oliveireinha: Rodrigo, Patricia, Samuel, Luis, Tiago, Hugo, Marcelo, José Miguel, Miguel Capela, B.B, Capela, Luisinho e Leandro.

O Académico defrontava o Oliveireinha, nas meias finais do seu torneio. Frente a frente duas boas equipas que lutavam por atingir a final. Começou mais forte o Académico com dois remates fortes de João Diogo e depois Kiko. Mas seria a Oliveireinha a ter as mais flagrantes hipoteses para abrir o marcador quando Tiago e Luis isolados não consegue a melhor direcção no seu remate. Todavia em novo lance rápido o Oliveirinha viria mesmo a marcar quando Luis isolado perante Alexandre tem calma e faz o golo inaugural. Todavia o Académico reage bem e poderia ter empatado quando Hélder mais lesto que a defesa contrária obriga Rodrigo a defesa apertada. Estava perto o golo academista que viria a surgir após boa jogada de Kiko. No minuto seguinte o mesmo jogador esteve perto de fazer a reviravolta mas remata fraco para as mãos de Rodrigo. A segunda parte começa com a mesma toada e seria Gonçalo que numa boa insistência quase fazia o 2 golo academista.A partida estava equilibrada mas numa desatenção da defesa academista, Tiago consegue apoderar-se da bola e fazer o 2 golo do Oliveirinha. Reagindo da melhor forma, o Académico consegue partir para a frente e num rápido contra-ataque Kiko é bem lançado e faz o golo que dava o empate. Os remates iam surgindo em cada uma das áreas e primeiro Marcelo e depois Pedro ficam perto do golo. Já nos minutos finais boa jogada academista com Pedro a lançar Kiko pela esquerda e este centra para o interior onde Hélder e Gonçalo, ambos isolados tentam o remate, cabendo ao irrequieto Gonçalo o remate para o golo. Com este golo os jovens academistas conseguem chegar a uma final após um jogo de elevada emoção.


Académico Viseu - Taboeira 2:0
Marcadores: Kiko e Francisco
Académico Viseu: Alexandre, Bruno, João Francisco, Rúben, Rafael, Kiko, Pipo, Pedro, Hélder, Gonçalo, Bernardo e Tiago.
Treinador: Joaquim e Júlio.
Taboeira: André, Carlos, Diogo, João Pedro, Jorge, José Carlos, Pedro Miguel, Rafael, Rafael David, Valentin, Afonso, João Pedro, Virgílio e Alexandre.

A final das Escolas A colocava em confronto a equipa local do Taboeira e os jovens academistas. Após um início bem equilibrado aos poucos os jovens academistas foram assumindo o jogo e caberia a Pipo a primeira grande oportunidade para o golo, mas falhou o remate mais certeiro. Cabia ao Académico o dominio e o cerco à defesa local intensificava-se e Hélder com uma boa jogada consegue libertar Kiko que faz o golo que dava a vantagems aos homens de negro.
Nos minutos seguintes a pressão academista mantinha-se e primeiro Pedro e depois Bernardo tiveram lances perigoso. Já sobre o intervalo Kiko tem boa jogada e liberta Bernardo que é lesto a centrar bem para Francisco que de forma fria como já nos habituou fazer o golo para gáudio dos muitos adeptos academistas.
A segunda parte começa com uma boa reacção local, onde os remates de Carlos e André levam o perigo à baliza defendida por Alexandre. Na resposta Gonçalo teve nos pés o golo da tranquilidade mas o guarda-redes local não o permite. Embora tentando o domínio do jogo cabia ao Académico as melhores oportunidades para marcar e João Diogo e depois Pedro com remates fortes não conseguiram o golo. O tempo foi passando e os adeptos academistas cada vez mais acreditavam na conquista deste trofeu e foi ao som deles que se ouviu o apito final.
Foi uma vitória merecida, num jogo em que o Académico dominou o Taboeira desde o apito final, apesar da réplica local.

Penalidades ingratas

Académico Viseu - Milheiroense 0:0 (3-4 g.p)
Académico Viseu: Fábio, Eduardo, Zé Marques, Fernando, Lucas, João Marques, Francisco, Paulo, Tiago Pinto, Tiago Ferreira, João Loureiro e Pedro.
Milheiroense: Bruno Lopes, João, Marcelo, Marcelo Almeida, Miguel Ângelo, Miguel Oliveira, Nélson, Pedro, Rui Jorge, Rui Pedro, Sérgio, Tony, Valter e Nuno Paiva.

Os infantis defrontavam a turma do Milheiroense, numa das meias finais do seu torneio. Foi uma partida bastante equilibrada onde a primeira o dominio foi milheiroense e a segunda academista. O primeiro remate seria de Miguel Ângelo que levou muito perigo ao guarda-redes academista.
O Milheiroense pressionava o Académico para o seu terreno e Marcelo tem novo bom lance mas sem o remate para o golo. Por sua vez o Académico procurava por Paulo e Pedro lances de rápidos contra-ataques.
A segunda parte começou com o Académico a pressionar e Tiago quase que marca numa das boas ocasiões de golo. Na resposta seria Miguel Ângelo a ter duas boas oportnuidades de golo mas Fábio consegue defesas seguras.
Como nenhumas das equipas conseguia o golo, o tempo foi-se consumindo e a decisão foi encontrada da forma mais dramática, ou seja por grandes penalidades. Ambas as equipas foram perspicazes nas 3 primeiras e já foi na fase derradeira que Fábio ainda consegue tocar no remate de Valter mas sem conseguir evitar o golo que dava a passagem para a final da prova.

Académico Viseu - Taboeira 1:1 (2-4 g.p) Golo Taboeira: Nuno
Golo Académico: Paulo.
Taboeira: Carlos Eduardo, Carlos Peixinho, Carolina, Gonçalo, Marco, Nuno, Paulo, Rafael, Ricardo, Rui Pedro, Tiago, Valentin, Pedro e Hugo Santos.
Académico Viseu: Fábio, Eduardo, Zé Marques, Fernando, Lucas, João Marques, Francisco, Paulo, Tiago Pinto, Tiago Ferreira, João Loureiro e Pedro.

No jogo de apuramento do 3 e 4 lugar, encontravam-se duas equipas já conhecidas da fase de grupo. Todavia desta vez o equilibrio foi ainda maior e ambas as equipas procuraram o golo de forma a garantir um lugar no pódio. Assim o primeiro remate de perigo a uma das balizas foi de Eduardo levando a bola a rasar a baliza contrária.
Na resposta seria Gonçalo a rematar fraco à baliza de Fábio. Todavia poucos minutos após este lance a turma local viria a marcar quando Nuno num pontapé bem colocado faz a bola sobrevoar sobre Fábio e anichar-se nas redes academistas. Os jovens academistas não baixaram os braços e minutos após viriam a marcar quando Paulo aparece bem no interior da área local e cabeceia de forma imparável para o golo do empate.
O Académico dominava e Eduardo por duas vezes rematou à baliza local mas sem conseguir o melhor resultado.
Na segunda parte a emoção foi-se avolumando e ambas as equipas procuravam o golo mas primeiro Peixinho e depois Pedro não conseguem dar aos seus remates a melhor direcção.
Desta forma o tempo foi-se consumindo sem nenhuma das equipas conseguir obter o golo que lhe desse o terceiro lugar e foi de forma dramática que o vencedor desta partida foi encontrado. Novamente por penalidades os jovens academistas tombaram num jogo que fizeram tudo para obter outro resultado mais positivo e onde a lotaria que eles encarnam os traiu.

21 março 2008

Escolas goleadoras


Académico Viseu - Calvão 4:0
Marcadores: João Diogo 2, Kiko e Pedro

Académico Viseu: Alexandre, Bruno, João Francisco, Rúben, Rafael, Kiko, Pipo, Pedro, Hélder, Gonçalo, Bernardo e Tiago.
Treinador: Joaquim e Júlio.
Calvão: Guilherme, Bruno, Pedro Matos, Leandro Neves, João, Pedro, Michael, Rui, Paulo, João, Romeu, Rodrigo, Igor e Bruno Silva.
Treinador: Wanderley

As escolas academistas defrontaram no seu jogo inicial a equipa do Calvão e entraram bastantes pressionantes e caberia a Rafael o primeiro remate à baliza contrária obrigando Guilherme a defesa incompleta, onde Hélder aparece mas é desarmado. No seguimento do canto, João Diogo aparece bem no interior da área e faz o golo inaugural. O Académico carregava e viria a marcar novamente após um bom remate de Kiko. O Calvão tenta reagir mas é o Académico que tem as melhores oportunidades e viria a ampliar o marcador quando João Diogo sobe e remata forte e leva a bola a anichar-se nas redes contrárias. A segunda parte com as muitas mudanças nos planteis a partida ficou mais equilibrado e primeiro Igor e depois Hélder estiveram perto do golo para cada uma das equipas. O golo final da partida viria a surgir com novo golo de belo efeito desta vez com um remate indefensável de Pedro que só parou nas redes do Calvão.
Vitória justa academista face ao domínio que se verificou ao longo da partida.


Académico Viseu - Alba 2:0
Golos Académico: João Diogo e Pedro

Académico Viseu: Alexandre, Bruno, João Francisco, Rúben, Rafael, Kiko, Pipo, Pedro, Hélder, Gonçalo, Bernardo e Tiago.
Treinador: Joaquim e Júlio.
Alba: Carlos Figueiredo, João, Carlos Ribeiro, André, Alexandre, Fábio, Ludovico, Nuno, David, Ivan Ribeiro e Alexandre.
Foi uma partida bem mais equilibrada esta que colocou em confronto o Académico e o Alba. Entraria bem novamente o Académico que viria a marcar com um remate forte de João Diogo. Com o golo sofrido o Alba tentou reagir mas os rápidos contra-ataques academistas guiados pelos lestos Hélder e Francisco colocavam em sentido a defensiva forasteira.

A segunda parte começou com o Alba a ameaçar a baliza de Alexandre com remates fortes de Alexandre e Fábio. Todavia o Académico foi sustendo este maior dominio contrário e equilibrando e voltaria a marcar quando Pedro num livre sobre a ala esquerda do seu ataque remata forte sem hipóteses para Carlos. Na resposta o Alba tem a sua melhor oportunidade para marcar, quando num livre já no interior da área Alexandre não consegue ultrapassar a barreira academista. Chegava-se ao final da partida, com o 1 lugar assegurado, faltando conhecer o seu adversário nas meias finais, que pouco depois se ficou a saber ser o Oliveireinha.

Outro resultado:
Calvão -Alba 2:1

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu2200606
Calvão2101253
Alba2

0

02140

Apuramento infantil nos minutos finais



Taboeira - Académico Viseu 1:0
Golo Taboeira: Carlos Eduardo
Taboeira: Carlos Eduardo, Carlos, Carolina, Gonçalo, Marco, Nuno, Paulo, Rafael, Ricardo, Rui Pedro, Tiago, Valentin, Pedro e Hugo Santos.
Académico Viseu: Fábio, Eduardo, Zé Marques, Fernando, Lucas, João Marques, Francisco, Paulo, Tiago Pinto, Tiago Ferreira, João Loureiro e Pedro.

O primeiro jogo infantil academista colocava-o frente ao organizador e cedo se viu que a equipa local queria ganhar o jogo. Do outro lado estava uma equipa que também procurava um bom resultado. O taboeira tinha a posse de bola e o Académico tentava reagir com rápidos contra-ataques. Um dos poucos lances de realçe na primeira parte foi um remate colocado de Nuno que levou a bola a embater o poste de Fábio.
A segunda parte começou com o golo local num livre de Carlos Eduardo, mas onde os arbitros estiveram mal ao não assinalar o fora de jogo a um atacante local que embora sem tocar na bola interferiu na acção de Fábio. Poucos minutos a seguir novo remate de Nuno com Fábio a responder de boa forte. O Académico tentava reagir mas sem os melhores remates e foi mesmo já sobre o apito que disfrutou de um bom lance mas onde a direcção do remate final de Pedro não foi a melhor.


Académico Viseu - Courelas 3:3
Académico Viseu: Fábio, Eduardo, Zé Marques, Fernando, Lucas, João Marques, Francisco, Paulo, Tiago Pinto, Tiago Ferreira, João Loureiro e Pedro.
Courelas: Óscar, Pedro, Rui Pedro, José, João Luis, Filipe, Leandro, Fábio, Francisco e Frederico.

Foi um jogo frenético este que colocou em jogo duas equipas que sabiam que a vitória lhes daria a passagem para a fase seguinte. Começou mais pressionante a equipa do Courelas, mas viriam a ser os academistas a marcar quando Pedro com um bom remate abre o marcador. Com o golo sofrido o Courelas tenta reagir e vai apertando a malha e viria a conseguir o golo do empate com um remate forte de Fábio. O Courelas esteve perto de dar a cambalhota no marcador quando num centro de Filipe, Leandro aparece a rematar fraco.
Se a primeira parte nos reservou fortes emoções, a segunda iria duplicar tais sentimentos e o pingue-pongue no marcador foi toada dominante. Assim o Courelas foi o primeiro a desquilibrar quando Filipe num remate forte, aliado ao sol e vento consegue bater o guarda-redes academista Fábio. Com o golo sofrido os academistas subiram na tentativa de empatar, e isso esteve perto de acontecer quando João já no interior da área não consegue o remate concretizador. Todavia o golo viria a acontecer quando num centro sem grande perigo Oscar é atraiçoado pelas irregularidades do terreno e deixa a bola escapar para o interior da sua baliza. Mas o Courelas foi lesto a reagir e no minuto seguinte viria a marcar quando Fábio bate bem o livre na ala direita do seu ataque e Frederico aparece a fazer o golo. Sabendo que com este resultado estariam afastados das meias finais, os academistas pressionaram os adversários e viriam a marcar já no minuto final quando Eduardo num bom remate faz o golo do empate. Com este empate e com um melhor goal-avarage os academistas avançam para a meia-final onde irão defrontar a equipa do Milheiroense


Outro resultado:
Taboeira - Courelas 3:0

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Taboeira2200406
Académico Viseu2011341
Courelas2

0

11361




Hoje é o Fábio o aniversariante. Ele é Infantil no nosso clube.

Parabéns CAMPEÃO!!

20 março 2008

TaboeiraCup 2008

Mais um ano iremos acompanhar as nossas equipas de Infantis e Escolas ao torneio dos nossos amigos da Taboeira.

Os jogos serão os seguintes:

INFANTIS B

11:15 Taboeira - Académico Viseu
15:45 Académico Viseu - Courelas

ESCOLAS

16:30 Calvão - Académico Viseu
15:45 Académico Viseu - Alba

Força aí campeões!

17 março 2008

Aqui está o sorteio da fase final dos juniores.


1ª Jornada

Ac. Viseu

Oliveirense

29-03-2008

2ª Jornada

U. Lamas

Ac. Viseu

05-04-2008

3ª Jornada

Ac. Viseu

U. Coimbra

12-04-2008

4ª Jornada

NDS Guarda

Ac. Viseu

19-04-2008

5ª Jornada

Estação

Ac. Viseu

26-04-2008

6ª Jornada

Ac. Viseu

Arrifanense

03-05-2008

7ª Jornada

Repesenses

Ac. Viseu

17-05-2008




16 março 2008





Hoje é o Guilherme o aniversariante. Ele é Iniciado no nosso clube.

Parabéns CAMPEÃO!!

15 março 2008

Derby aguerrido dita empate juvenil

Académico Viseu - Viseu e Benfica 2:2
Golos Académico Viseu: Diogo(18 min) e Ferreirinha (79 min)
Golos Viseu e Benfica: John(64 e 70 min)

Académico Viseu: Luis, André (Jorge, 68 min), Cunha, Nogueira, melo, Chaves, Sílvio (Correia, 55 min), Zito (Pipa, 64 min), Diogo, Ferreirinha e Ronaldo.
Suplentes não utilizados: Toni, David, Lobo, Quim
Treinador: João Gomes
Viseu Benfica: David, André, Tiago, Tafa, Simão, Joca, Fábio, Coito, Amaral (Emanuel, 77 min), John e Batata (Costa, 72 min).
Suplentes não utilizados: Carvalho, Carlos Rafael e Vasco.
Treinador: Bruno.

Cartões Amarelos: Correia (80 min), Tafa (80 min) e Fábio (80+2 min)
Árbitro: José Gomes, Auxiliares: Pedro Almeida e Marco Santos.

Este era mais um derby viseense, onde ambas as equipas lutavam por obter um bom resultado. Entrou melhor a turma benfiquista que aos 4 minutos disfrutou de uma boa oportunidade, quando Amaral bem lançado por Batata, remata com muito perigo à baliza academista. Em seguida seria Fábio a responder de cabeça a um canto na ala direita.
O Académico após uma entrada titubeante consegue equilibrar e aos poucos levar o perigo à baliza forasteira, que teria o seu climax aos 18 minutos quando Melo numa boa subida, consegue criar desequlibrios na defesa forasteira e a bola sobre para Diogo que perante as facilidades consentidas remata de forma a fazer o golo que abria o marcador.
A turma benfiquista sentiu o golo sofrido e quatro minutos depois, Ronaldo sobre a esquerda remata forte para defesa incompleta de David, faltando o remate academista a aproveitar isso.
O Viseu e Benfica tenta reagir com Joca e Fábio a serem o motor de tal reacção mas seria o Académico a ter uma oportunidade flagrante quando aos 38 minutos Sílvio numa boa joga individual consegue ultrapassar dois defesas e atrasa para Diogo que já no interior da área perde algum tempo e não consegue o melhor remate.
A segunda parte começou numa toada equilibrada e primeiro Ferreirinha e depois Joca, tem remates perigosos às balizas contrárias. Com 50 minutos a pressão benfiquista viria a subir e o primeiro lance de perigo seria por Fábio que remata com muito perigo à baliza defendida por Luís. Aos 63 minutos uma das melhores jogadas quando Batata tem uma boa jogada e com um passe tenso consegue libertar para Fábio que não chega a tempo, fruto da antecipação de Melo. Adivinhava-se o golo benfiquista que viria a surgir no minuto seguinte quando John mais lesto que a defesa academista faz o golo do empate para gáudio dos seus adeptos.
O Académico sente o golo e aos 70 minutos viria a permitir a cambalhota no marcador quando John desfere um remate e faz o golo, num lance onde Luis pareceu não ver o inicio do remate.
Ao contrário do sucedido com o golo do empate este golo benfiquista deu aos academistas um choque que os levou a pressionar e no minuto seguinte Chaves centra bem para Ronaldo que liberto remata muito por alto. Estava dado o mote para 10 minutos finais diabólicos, onde ambas as equipas procuravam o golo. Este viria a surgir aos 79 minutos quando Correia na esquerda do seu ataque consegue centrar bem e Diogo simula, para Ferreirinha aparecer e fazer o golo do empate que levou ao rubro os adeptos academistas. Já no 3º minuto dos 4 dados pelo trio de arbiragem de compensação, Jorge bate o livre bem de forma tensa para o interior da área forasteira e nenhum dos seus colegas consegue o cabeceamento que daria o golo da vitória.
Trio de arbitragem foi levando o barco por correntes favoráveis, cometendo poucos erros. Todavia já perto do cais final o barco afundou com dois lances, um em cada área onde os avançados de ambas as equipas foram derrubados e o árbitro assim não considerou erradamente mandando seguir os lances. Senão houvesse descontos de tempo a arbitragem teria sido sem duvida melhor!

Melhores em campo: Joca e Melo. O primeiro foi um verdadeiro pulmão no meio campo benfiquista. Conseguiu empurrar a equipa para a frente conseguindo pautar a sua exibição com bons remates. O segundo foi um verdadeiro patrão da defesa academista. A dobrar colegas, adivinhando os lances adversários de forma a antecipar-se, esteve sempre no sítio exacto na hora certa. Uma boa exibição marcada ainda pela assistência para o primeiro golo academista!
In: homenagem benfiquista. Cedo se viu a homenagem que os jovens benfiquistas queriam fazer a um seu colega aleijado, usando t-shirts alusivas ao facto. Foi bonito a dedicatória inicial a Gonçalo (penso que é assim o nome dele) e depois os golos. Vale a pena o futebol com estes actos. Desde já queria expressar as melhores a esse campeão (e desculpa senão for mesmo este o teu nome)!
Out: arbitragem. Deixar o barco afundar com terra à vista, é complicado. Embora mais perto do que nós dos lances em causa, parece-nos que errou ao não marcar tais lances.

Outros resultados:
Tondela - Molelos 5:0
Mangualde - Nelas 0:0
Repesenses - Ranhados 3:1
Mortágua - Santar 2:2
Penalva Castelo - Cabanas Viriato 2:1
Folga: Lusitano Vildemoinhos

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu232120881565
Repesenses221831571757
Penalva Castelo221264372341
Viseu e Benfica22958494432
Mangualde22958403532
Lusitano Vildemoinhos2210111403531
Tondela229211453629
Mortágua227692852

27

Molelos2374123852

25

Cabanas Viriato225512264320
Ranhados224414305916
Santar224414327016
Nelas221912305912

Vitória academista importante

Académico Viseu - Mortágua 4:1
Golos Académico: Anibal (24 min), Guilherme (32 min), Márcio (43 e 59 min)
Golo Mortágua: Rúben (47 min)
Académico: Rui, Hugo Oliveira, Diogo, Márcio, Renato, Guilherme, Rafael Carvalho, Rafael Silva, Anibal, Pipo, Hugo Aparício e Mário.
Treinadores: Santos e Joel.
Mortágua: Marco, Gustavo, Luis, Flávio, Bernardo, Rúben, Daniel, Edurado, André, Ivo, João Silva e João Fonseca.
Treinadores: Filipe Mira e Gilberto

Os jovens infantis academistas defrontavam o Mortágua sabendo que uma vitória lhe fazia manter a liderança na sua série. Por outro lado o Mortágua sabia que a derrota o deixaria de fora pela luta de um apuramento para a fase final. Desta forma ambas as equipas entraram na partida com o firme propósito de obter uma vitória.
Aos 2 minutos seria Rúben que chuta de longe e obriga Rui a defesa apertada para canto, evitando assim o inaugural por parte da equipa forasteita. Na resposta Márcio obriga Marco a uma boa defesa. Com 8 minutos oportunidade de golo para os academistas quando Renato ganha uma bola perdida, atrasando para Rafael Silva que aparece bem mas remata pior.
Marco assumia-se um muro para os ataques academistas e aos 13 e aos 18 minutos brilha novamente após boas jogadas academistas e remates perigosos de Pipo e Renato. Após uma entrada equilibrada o Académico assumia o controlo do jogo e aos 24 minutos Márcio sobe no terreno e cria desequilibrios na defesa forasteira e remata para defesa incompleta de Marco e Anibal é mais lesto e faz o golo inaugural da partida. Pipo aos 26 minutos com um remate colocado obriga Marco a nova defesa de elevado grau de dificuldade.
Chegava-se ao intervalo com uma vitória parcial academista que viria a ser ampliada logo aos 2 minutos da 2ª parte, quando Rafael Silva tem uma boa jogada individual pelo lado esquerdo do seu ataque e centra para Guilherme que adivinhando o lance, aparece no sítio certo a empurrar para o segundo golo academista.
O Mortágua tentava sempre reagir e aos 35 minutos Luis remata forte e cheio de intenção, levando a bola a rasar o poste da baliza defendida por Rui. Aos 39 minutos seria Rafael Silva que num centro/remate quase que surpreende o guarda-redes forasteiro. Todavia aos 43 minutos Rafael Silva tem mais um bom cruzamento e Márcio aparece bem e faz um bom golo. A resposta a este golo foi célere e viria a acontecer no minuto seguinte quando Rúben mais lesto que a defesa academista consegue bater o recém-entrado Mário. No minuto seguinte novo bom lance individual de Rafael Silva que tem um bom cruzamento para a área com Márcio a aparecer e a rematar fraco para defesa fácil de Marco.
O Mortágua não baixava os braços e aos 52 minutos esteve perto do golo, quando Gustavo bem colocado obriga Mário a defesa apertada. Em seguida seria Rúben a rematar forte mas sem a melhor direcção: a da baliza academista. O Mortágua empurrava os academistas para terrenos mais atrasados mas seria novamente os academistas a marcarem quando Márcio finaliza da melhor forma um rápido contra-ataque academista.
Vitória academista larga, frente a um adversário que deu tudo por outro resultado que merecia mais golos.
Embora muito contestada por os adeptos forasteiros, a dupla de arbitragem embora errando em alguns lances, não influenciou no resultado final.

Melhor em campo: Marco. Embora batido por quatro vezes, onde não teve hipóteses em nenhum deles, realizou um punhado de boas defesas que foram adiando o avolumar do resultado. Atento tanto no meio dos postes como nas saídas aos cruzamentos, mostrou potencial.
In: jogo. Foi um jogo em quer ambas as equipas mostraram que estavam dispostas a ganhar. Bola cá, bola lá, o suspense foi grande e os jovens petizes mostraram o que realmente faz sentido, ou seja o seu futebol.
Out: discussões. Porque será que os adeptos não deixam os verdadeiros artistas brilharem. Criarem discussão por temas tão ocos não faz bem a este futebol que as nossas crianças nos honram em mostrar.

Outros resultados:
Penalva Castelo - Pinguinzinho 1:4

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu440013312
Pinguinzinho4301859
Penalva Castelo

4

013491
Mortágua40133111

13 março 2008




Hoje é o Jorge o aniversariante. Ele é Juvenis no nosso clube.
Parabéns CAMPEÃO!!

09 março 2008

Valeu pela vitória final.

Cabanas Viriato - Académico Viseu 0:3
Golos Académico: Pipa (28 min), Diogo Chaves (65 min), Ronaldo (80+1 min)

Cabanas Viriato: David, Fábio (Gonçalo, 70 min), Gustavo, Rui (Vieira, 70 min), Zé, Matias, Tiago Pereira, André, Daniel, Ricardo e Rebelo (Jorge, 38 min).
Suplentes não utilizados: Bruno, Ricardo, Simões e Diogo.
Treinador: Zé Manuel.
Académico Viseu: Luis, André Sobral (Vítor Nuno, intervalo), Jorge, nogueira, Melo, Chaves, Pipa, Zito (Diogo Rego, 54 min), Ferreirinha, João Coelho (Miguel Macedo, 68 min) e Ronaldo.
Suplentes não utilizados: Toni, Vitinho, Diogo Cunha e Lobo.
Treinador: João Gomes.

Cartões Amarelos: André Sobral (17 min), Ronaldo (28 min) e Tiago Pereira (43 min)
Árbitro: Nuno Miguel Vaz.

O Académico deslocou-se a Cabanas de Viriato no firme propósito de vencer para garantir um simbólico mas importante título desta primeira fase do campeonato.
Caberia à turma visitante a primeira ocasião de perigo quando Ferreirinha liberta bem para Zito que em boa posição não consegue o melhor remate. Após este lance a equipa local mais habituada às condições do terreno, e bola, consegue equilibrar e aos 11 minutos Daniel remata com muito perigo à baliza defendida por Luis.
Aos 23 minutos seria novamente o Cabanas de Viriato a estar perto de inaugurar o marcador quando Ricardo com um bom remate, obriga Luis a defesa atenta. Cinco minutos depois deste lance o Académico desprende-se da teia bem realizada pelos locais e Ronaldo sobre a ala esquerda, tem uma boa jogada individual e já sobre a linha final atrasa para o interior da área, onde aparece Pipa a rematar e a fazer o golo inagural da partida.
Até ao intervalo nada de realce mais se passou, numa primeira parte fraca, onde a bola esteve entre as duas áreas, sem grandes lances de perigo.
Como seria de esperar e a perder pela margem mínina, o Cabanas Viriato veio para a segunda parte com a intenção de empatar e aos 42 minutos Ricardo cabeceia fraco à baliza academista. Na resposta seria Ronaldo a rematar forte mas sem a melhor direcção. Aos 48 minutos eria Matias que em boa posição remata forte à baliza defendida por Luis que de forma atenta consegue defender. No minuto seguinte Rui marca bem um livre para o interior da área, onde Luis consegue antecipar-se aos atacantes locais e assim acabar com uma boa oportunidae de golo. Aos 12 minutos novo lance tirado a fotocópia do anterior onde desta vez aparece André a rematar fraco, desperdiçando assim uma flagrante oportunidade de golo.
O Cabanas Viriato empurra o Académico para terrenos mais atrasados mas seriam os academistas que viriam novamente a marcar quando Diogo Chaves de longe desfere um remate que aparentemente não levaria problemas a David, mas que se revelaria fatal para o guarda-redes local que deixa a bola anichar-se nas suas redes. Lance onde David não fica muito bem na fotografia! Com este golo o Académico assume o controlo do jogo e aos 74 minutos Diogo Rego tem uma boa jogada falhando na direcção do seu remate. No minuto seguinte surge a melhor jogada de envolvimento da partida quando Pipa, Diogo Rego e Miguel se entendem bem, tendo este último falhado o golo que era merecido pela jogada em si. Aos 78 minutos oportunidade flagrante para a turma do Cabanas de Viriato reduzir, quando Vieira aproveita uma desatenção da defesa academista, ganhando a bola e isola-se mas falha o alvo.
Já sobre o apito final da partida o sempre endiabrado Ronaldo é bem lançado por Pipa e à entrada da área consegue um remate forte e fazer desta forma o golo que carimbava o resultado final.
Existem arbitragens que complicam o que até é fácil. Foi o caso deste trio liderado por Nuno Miguel Vaz. Auxiliares mais preocupados com os bancos de suplentes que com o jogo erraram por vezes nas suas decisões e o seu lider a assinalar lances erradamente e a irritar os adeptos e jogadores envolvidos no jogo.

In: emoção do jogo. Foi um jogo fraco a nível técnico mas a emoção do mesmo prendeu os adeptos e não os deixou sair mais cedo para um reconfortante almoço.
Out: arbitragem. Complicar o que é fácil custa de ver e foi o que se assistiu em Cabanas Viriato. Muitos erros, onde o futebol saiu prejudicado. Já agora será correcto um árbitro falar para o público e fazer comentários sobre o que a assistência diz? Segundo o artigo 42º, os jogadores que o façam levam uma suspensão entre um e quatro jogos, mediante gravidade das mesmas. e os arbitros???
Outros resultados:
Santar - Penalva Castelo 0:0
Ranhados- Mortágua 1:4
Nelas - Repesenses 1:2
Molelos - Mangualde 1:2
Lusitano Vildemoinhos - Tondela 0:4
Folga: Viseu e Benfica

Clube

J

V

E

D

GM

GS

Pontos

Académico Viseu222110861364
Repesenses211731541654
Penalva Castelo211164352239
Lusitano Vildemoinhos2210111403531
Viseu e Benfica21948474231
Mangualde21948403531
Tondela218211403626
Mortágua217592650

26

Molelos2274113847

25

Cabanas Viriato215511254120
Ranhados214413295616
Santar214314306815
Nelas211812305911